Digite para procurar

Descansa, militante. É hora de cancelar as manifestações.

Compartilhar

“Para tudo há uma ocasião, e um tempo para cada propósito debaixo do céu:” Eclesiastes 3:1

Há coisas que devemos fazer imediatamente e coisas que devem esperar. Salomão, considerado na Bíblia o homem mais sábio de todos os tempos, cita no livro Eclesiastes que para tudo há um momento certo. Independente de crença religiosa, tal ditado já foi contada por nossos pais e tem sua validade.

O Governo Bolsonaro e o Congresso estão travando uma verdadeira batalha nos últimos meses. Em seu momento mais crítico, o presidente convoca um ato de protesto contra o Legislativo, algo que está mexendo com a população: o presidente estaria cometendo crime de responsabilidade ao atentar contra a democracia. Muito bonito. Só esqueceram de contar que atos contra o executivo já foram convocados por deputados no passado. Lembram do “Fora FHC”, “Fora Dilma”, e o maior de todos, “ o “Fora Temer”? Esse último, legitimado pela esquerda, mas uma verdadeira afronta à democracia…

Pois é, não há problema algum na população protestar. Mas é hora de cancelar os atos do dia 15. O Coronavírus é extremamente perigoso e nações inteiras fecharam suas fronteiras, cancelaram eventos públicos e estão de quarentena. Não é só uma gripe. O Coronavírus tem um nível de contágio muito alto. E uma taxa de mortalidade alta em idosos e pessoas com problemas crônicos de saúde. Milhares de novos casos nos próximos dias, um membro da equipe do governo está infectado e provavelmente outros também.

Muita gente hipócrita usa o vírus como desculpa para desmobilizar a população. Muitos fizeram isso durante o carnaval, mas da festa, que atraiu milhões de estrangeiros ao Brasil, potenciais transmissores do vírus, nada disseram.  Em sua live semanal, realizada hoje (12), o presidente Jair Bolsonaro aconselha que os atos sejam cancelados ou adiados. Disse deve-se evitar que haja uma explosão de pessoas infectadas, pois os hospitais não darão conta. Já avisou que irá dar esse recado oficialmente em um pronunciamento.

Não se sabe exatamente como o vírus se comporta no Brasil, mas como diz o velho ditado brasileiro – que poderia muito bem ser dito pelo filósofo conservador americano Russel Kirk:  “Prudência e canja de galinha não fazem mal a ninguém“. Enfim, existirão novas ocasiões para o ato legítimo contra o legislativo.

 


Gostou? Quer apoiar nosso trabalho?

Torne-se assinante de INQ.report e ganhe conteúdo exclusivo!

Assine agora

Assuntos: